Um filme concerto realizado por Ricardo Oliveira




Composto por versões inéditas do repertório da banda, Sol Posto integra três performances gravadas ao vivo e em exclusivo para o filme. As actuações ocorrem em três momentos distintos do dia: crepúsculo, noite e alvorada. Tal como na vida quotidiana recente, o filme enfrenta a ideia de um período de ponderação em vez de ação, e de suspensão em vez de concretização.

As horas de Sol Posto são palco do descanso, da reclusão, dos sonhos e dos planos, da escuridão, da espera e do desconhecido. Se por um lado pretende evocar os mais verossímeis aspetos da experiência de um concerto, torna-se também numa oportunidade de quebrar a barreira física do tradicional palco/plateia, aproximando o espetáculo do espectador, trazendo-o para dentro do palco e colocando-o a uma distância de cumplicidade com os músicos. 

O som e imagem foram gravados ao vivo, no decurso de uma semana em Setembro de 2020, em Melides.